Arquivo | atenção RSS feed for this section

Você disse VACINA??

18 maio

10274047_568945436537975_8510453655978712825_n

Eu seeeei… uma vez por ano tenho que tomar, mas não gosto, dói! Se bem que se ficar doente vai doer muito mais né?

Leiam as dicas abaixo, não esqueçam de vacinar seus aumigos e aMIMIgos!

 

Todos os cães e gatos precisam ser vacinados.

Mas quais vacinas aplicar? Quando? Até qual idade?

Inicialmente, é importante lembrar que para um animal responder bem à vacinação e ficar protegido, é necessário que ele esteja em boas condições de saúde e nutrição. Não se deve vacinar animais estressados, doentes, parasitados ou que apresentem carências nutricionais.

Os filhotes recém nascidos  possuem capacidade de responder imunologicamente a diferentes vacinas, mas essa resposta é inferior do que aquela em animais adultos. Quando eles mamam o leite materno nos primeiros dias após o parto (este leite se chama colostro), os anticorpos do colostro impedem uma imunização adequada  entre o nascimento e o desmame (ocorre aproximadamente com 10 semanas).
Estes anticorpos maternos no filhote  atrapalham a resposta vacinal, mas não são suficientes para prevenir uma doença.
Por esta razão,  iniciamos a vacinação dos filhotes entre seis e oito semanas de vida e repetimos as aplicações com intervalos de 3 a 4 semanas até 14 ou 16 semanas (4 meses). Este esquema aumenta a chance de evitar doenças contagiosas desde a fase que a imunidade materna estava presente até o momento que o filhote tiver a capacidade de responder bem ao estímulo vacinal.

Há muitos anos, nós veterinários, recomendamos reforços anuais de vacinas contra raiva, cinomose, parvovirose, panleucopenia entre outras. Esses reforços exerceram um papel importante na prevenção de doenças em cães e gatos.

Recentemente, surgiram questões para refletirmos.

Todas as vacinas necessitam de reforços anuais? Estamos vacinando cães e gatos exageradamente? Essas vacinas podem causar danos ?

Essas perguntas precisam de muita reflexão e não existe uma resposta única para todos os animais.

O que determina se uma vacina precisa ou não de reforço, é a duração da imunidade causada por ela. Esta duração é variável para cada doença, sendo longa para cinomose, parvovirose, adenovirose e panleucopenia, e curta (apenas alguns meses), para a leptospirose. Assim o grau de proteção é diferente para cada doença.

Como as vacinas costumam ser múltiplas (mais de uma doença em uma única aplicação) e os estilos de vida dos animais completamente diferentes, existe um protocolo, comum a todos os animais.

CÃES – 3 doses da vacina múltipla (óctupla ou déctupla – cinomose, hepatite, parvovirose, adenovirose, parainfluenza, coronavirose e leptospirose), sendo a primeira dose entre os 45 e 60 dias e reaplicações com intervalos de 3 a 4 semanas.

O filhote só pode sair para passear na rua e se expor ao risco de contato com doenças após o término do esquema de vacinação, aproximadamente aos 4 meses de vida.

GATOS – 2 a 3 doses da vacina tríplice ou quádrupla (rinotraqueíte, calicivirose e panleucopenia e mais a clamidiose, na quádrupla), iniciando aos 2 meses e repetindo com intervalos de 3 a 4 semanas.

ANTI-RÁBICA – em geral, é aplicada na mesma data da última dose de vacina do protocolo dos filhotes. No Brasil, deve-se repetir a vacinação anualmente, durante toda a vida do animal.

Existem outras vacinas disponíveis para prevenir doenças em cães e gatos.

CÃES: “Tosse dos Canis” (saiba mais em http://www.bichosaudavel.com/gripe-canina-ou-tosse-dos-canis/), giardíase e alguns protocolos recomendam a aplicação da vacina contra Leptospirose a cada 6 meses.

A Leishmaniose é uma zoonose importante e precisa ser evitada – já existe uma vacina que pode ser aplicada em cães saudáveis e acima de 4 meses de idade. É fundamental realizar um exame de sangue antes da vacinação – somente animais negativos podem ser vacinados. O esquema de vacinação consiste em 3 doses com intervalo de 21 dias entre elas. A revacinação é anual.

Saiba mais em http://www.bichosaudavel.com/leishmaniose-visceral-canina-precisamos-evitar/

GATOS: Leucemia Felina e Clamidiose.

A eficácia destas vacinas é variável e, em geral a resposta ao tratamento é satisfatória.

As reações indesejáveis à vacinação costumam ser de hipersensibilidade (edema na face e coceira), dor local e/ou febre, mas também podem ser graves como a formação de tumores no local da aplicação (sarcoma principalmente em gatos) e doenças auto-imunes.

Os idosos, apesar de já terem sido vacinados muitas vezes, também são suscetíveis às viroses, especialmente à cinomose.

Os esquemas  vacinais devem ser estabelecidos pelo(a) veterinário(a) considerando os hábitos e a saúde de cada  cão e gato. Isto é, o risco de exposição à doença em questão e a probabilidade de ocorrer uma reação indesejada.

Uma das vantagens da vacinação anual é a avaliação clínica do animal e a prevenção de doenças futuras, na visita veterinária.

Converse com seu(sua) veterinário(a) de confiança e decidam qual o melhor programa de vacinação para seu(s) animal(is).

 

Anúncios
27 jan

Encontramos este cão correndo atras dos veículos próximo ao pesque pague guzzi. Não sei se foi abandono ou estava perdido. Quem tiver informações, favor entrar em contato. O cão é muito querido e dócil. Precisamos de um lar para ele!!

 

ALERTA CONTRA CINOMOSE!!!

10 jan

Alerta aos proprietários de cães: se o seu animal de estimação não foi vacinado e está com perda de apetite, apatia, febre, secreção nasal ou ocular e teve perda da coordenação motora, cuidado: ele pode estar com cinomose, doença provocada por vírus transmitido entre os cães e que pode levar seu melhor amigo à morte.

Trata-se de uma enfermidade muito séria e, infelizmente, disseminada pelo País. E não há medicamentos específicos para curar os cães. É preciso vacinar os filhotes com 3 doses e sempre fazer o reforço anual nos adultos para prevenir o aparecimento da cinomose.
Tanto os animais tratados quanto os não tratados podem desenvolver sintomatologia nervosa, mas esta é mais comum nos últimos. Essa fase nervosa da doença pode ser caracterizada por espasmos musculares (mioclonia) e comportamento fora do normal. Esse “comportamento fora do normal” é provocado pela desmielinização do sistema nervoso, o cão pode se tornar agressivo e não reconhecer o dono. Com a degeneração avançada da bainha de mielina, o cão pode apresentar paralisia devido à fragmentação dos neurônios.
Até pouco tempo, a cinomose remontava um longo histórico de insucessos no que tange tratamentos para animais acometidos. Dois fatores se associavam e possuíam papel importante na manutenção dessa perspectiva negativa.

IMPORTANTÍSSIMO!!!!!!!!

Atenção você que tem um cão com os sintomas:  QUEIMEM OS UTENSÍLIOS DELES, CASINHA, POTINHOS, GUIAS E CAMINHAS, POIS A CONTAMINAÇÃO PODE VIR ATRAVÉS DESTES E NÃO DOEM DE FORMA ALGUMA, PASSA DE UM PARA O OUTRO!!

 

Fonte: Vida Vet

NÃO SOMOS SUPER HERÓIS

23 dez

“Infelizmente muitas pessoas acham que os voluntários que lutam e protegem os animais tem algum tipo de poder especial, mas não temos.

Pessoas nos ligam para informar sobre um cão atropelado e temos a sensação que esta pessoa quer que saíamos voando de onde estamos para chegar imediatamente ao local.

Muitas ligações sobre atropelamentos são em tom de ameaça aos voluntários do que propriamente de alguém preocupado com a vida do animal. Ora! Nem os bombeiros que salvam PESSOAS podem voar, mas pelo menos eles tem viatura para resgate de PESSOAS, e esse é o trabalho deles.

Os voluntários da APANVI tem apenas seus carros particulares e salvar animais infelizmente não é o trabalho principal dos voluntários, quem dera pudesse ser, quem dera existisse reconhecimento da profissão de “PROTETOR DE ANIMAIS”.

Então tais pessoas ainda precisam evoluir muito e entender que nós os voluntários não conseguimos infelizmente atender a tudo e a todos. Nós não somos os culpados pelos cães soltos nas ruas. Quem está acompanhando o dia a dia de qualquer ONG de proteção vive o problema de perto, as pessoas querem que resolvamos até o barulho que o cão do vizinho faz.

Alguém tem uma cadela no cio dentro de seus quintal e se incomoda com os cães machos que param em seu portão, aí ficam ligando o dia inteiro para os voluntários irem recolher os cães porque estão “assustando” as pessoas que passam… Ora! será que temos que atender isso? Porque não cuidaram pra que a sua cadela não entrasse no cio? Me desculpem pelo desabafo, mas tem gente muito folgada e com falta de discernimento neste mundo”.

 

Agora nessa época de fim de ano os casos de abandono triplicam!

Por que? Irresponsabilidade das pessoas que resolvem viajar e simplesmente largam seus animais por aí… e aí chovem ligações, e-mails e pedidos de ajuda no face.

Me respondam por favor: COMO UMA ONG QUE TEM 3  CASAS DE PASSAGEM, NENHUM ABRIGO, POUQUÍSSIMOS VOLUNTÁRIOS VAI CONSEGUIR DAR CONTA DE TODOS ESTES PEDIDOS?

Isso mesmo, não vai. Estamos de mãos atadas!

Então cidadãos, nos ajudem… pedir ajuda é muito fácil… agora, segurar um cão ou gato por alguns dias até que seja adotado, ninguém quer, não tem espaço, não pode por que já tem um em casa…

 

Recebemos um pedido do Jornal A Coluna, que entre tantos é o que mais nos deixou com os corações apertados:

Leitores, colaboradores e Apanvi de Videira e Fraiburgo, neste sábado (21) ocorreu um incêndio em uma propriedade na cidade de Fraiburgo. A equipe do Jornal A Coluna registrou a tristeza desse animalzinho que possivelmente perdeu seus filhotes no momento do incêndio. Queremos pedir a ajuda para que a cadela possa ser resgatada e colocada para adoção. A equipe do Corpo de Bombeiros de Fraiburgo tentou encontrar os filhotes na parte debaixo da propriedade, mas nenhum animalzinho foi encontrado. Aparentemente a cadela estava amamentando. Podem entrar em contato através do facebook do Jornal.

 

Não sabemos se ela ainda está lá nem o que aconteceu com os filhotes… mas gostaríamos de solicitar a ajuda de alguém de Fraiburgo se possível para resgatar ela.

NÃO TEMOS VAGA!  e alguma coisa precisa ser feita!

Ajudem a divulgar por favor.

 

 

Diga não aos fogos

9 dez

VAMOS PREVENIR???

Milhares de animais se perdem e se acidentam por conta dos fogos de artifício de fim de ano, Copa do Mundo, festas juninas…

VOCÊ TEM UM CÃO, GATO, PÁSSARO E/OU OUTROS ANIMAIS?

Se você não tem, algum parente, vizinho ou amigo seu tem, não?

Fogos de artifício são responsáveis por acidentes com animais de todas as   espécies, contudo os mais atingidos são os cães e os gatos. Além das festas de fim de ano, juninas e outras comemorações, temos ainda como momentos mais críticos a Copa do Mundo e outras competições esportivas mais expressivas.

É grande o número de fugas e o conseqüente desaparecimento do animal, atropelamentos, ataques (investidas contra os próprios donos e outras pessoas), brigas com outros animais com os quais convivem, mutilações em grades e portões, enforcamentos com as próprias coleiras, afogamentos em piscinas, quedas de andares e alturas superiores, aprisionamentos indesejados em porões e em lugares de difícil acesso, além de paradas cardiorespiratórias, etc.    Em pânico o animal desorientado entra em desarmonia com o ambiente, e quando se trata de cães de grande porte, passa a ser também perigoso para as pessoas e outros animais.

Procure se antecipar a isso garantindo condições mínimas de segurança evitando ambientes conturbados e barulhentos (desde antes do espocar dos fogos), transmitindo ao animal paz e tranqüilidade e a sensação de que tudo está bem e sob controle. Reações de medo, susto e espanto demonstradas pelo(s) dono(s) e/ou outras pessoas, podem deixá-los inseguros e/ou agressívos.    Cães são lobos domesticados e por natureza identificam um líder. Não havendo o líder ele (o seu, ou qualquer animal) poderá buscar assumir essa condição, e situações de descontrole e desordem são propicias para tal.

A voz de comando é o exemplo mais claro da liderança que o dono exerce sobre o animal. Cães de pequeno porte sem comando podem causar problemas enquanto os de porte grande (sem comando) podem causar desastres.  Como conseqüência dos acidentes aparecem serias mutilações e ferimentos, o aumento de animais perdidos nas ruas (vindo a somar com os que já são animais de rua, o que é um grave transtorno p/ aqueles que se dedicam à causa), além é claro, da dor da perda definitiva de um animal de estimação.    Tudo isso pode ser evitado com prudência, atenção e um pouco de boa vontade.    Alguns veterinários aconselham o uso de tampões de algodão nos ouvidos que podem ser colocados minutos antes (mas não esqueça de tirá-los depois), assim como calmantes naturais que apresentam resultado bastante eficiente para os animais que historicamente apresentam o estresse, etc.    Para mais detalhes sobre tampões e calmantes consulte o veterinário.

PRATIQUE A POSSE RESPONSÁVEL DE ANIMAIS!    VAMOS PREVENIR?  Divulgue o conteúdo dessa mensagem aos seus amigos, parentes, assim como no seu bairro, condomínio, trabalho, etc, e não só pela internet.

TENHA CUIDADO TAMBÉM COM CRIANÇAS E ADULTOS.       

Cadela porte médio – grande perdida ou abandonada

15 out

Essa linda apareceu sábado  no bairro  DOIS PINHEIROS e está sendo tratada pelo pessoal de lá.

ALGUÉM RECONHECE? ESTÁ DE COLEIRA!

DSCF0079 DSCF0080 DSCF0081

Boxer abandonada – Caso resolvido

14 out

Em pleno dia de Nossa Senhora da Aparecida… dia das crianças…Passa-se a história contada abaixo:
“Hoje estávamos na missa em Aparecida e apareceu uma cadelinha muito magra na minha frente.
algumas pessoas deram pão, salsicha e ela ficou por la, ai eu peguei e fomos pro outro lado.
qdo vejo, ela no meu pe de novo, dei uns restos de bolo q tinha la por cima, mas começou foguetes e ela se escondeu e eu não vi mais.
ai fomos almoçar num sitio q da uns 6 km dali e qdo estávamos indo embora, la pelas 13:30, la perto da campina bela, encontramos essa mesma cachorrinha magrela andando perdida embaixo daquele sol quente e poeirão.
paramos o carro, eu abri a porta e ela veio correndo, entrou no carro e foi direto para o banco de tras e deitou
se acabou tomando agua e dormiu.
detalhe: estava com as tetas com leite como se tivesse amamentando
e ai, o que fazer??? levar a cadela, mas e os filhotes???
ai fomos de casa em casa da campina bela ate aparecida e da aparecida ate suas redondezas pedindo se era o dono ou conhecia de quem era e nada, ninguém nunca viu
chegamos a conclusão de que alguém a abandonou, devido sua magreza e trouxemos pra videira.
levamos no samir pra ver como esta, e ela apesar da magreza esta bem.”
DSCF0075 DSCF0076 DSCF0077
Graças ao comentário do Fabio Duarte ela vai voltar pra casa, mas ficaremos de olho.
Fabio Duarte OLA SEMANA PASSADA EU FUI EM UM ALMOÇO NA SEDE DA Videplast E TINHA UMA CACHORRA ASIM LA ACHO QUE ERA ESSA E DO CASEIRO QUE MORA LA ELA TINHA UM MOTE DE CACHORRINHO ELA PODE TER INDO ATRAS DAS PESSOAS QUE PASSAM ALI PARA A CAMINHADA .
– Os filhotes foram doados em uma agropecuária, visto que estavam sem a mãe… já tinham 40 dias segundo os donos.

Achados e perdidos – POODLE BRANCO

8 out

Este poodle macho apareceu na  Rua da Conceição, II Pinheiros no sábado, estava arrastando uma guia azul.

Levamos para uma consulta na Vidavet pois o pequeno está urinando sangue.

 

ATENÇÃO BAIRRO II PINHEIROS E PROXIMIDADES!!!

Informações: facebook.com/apanvi  ou apanvi@outlook.com

DSCF0069 DSCF0070 DSCF0071 DSCF0072

Pincherzinha resgatada

23 set

Esta pequena foi resgatada no sábado a noite por uma moça que nos ligou pedindo socorro.

Domingo pela manhã foi atendida na Vidavet e continua internada.

Como pode ser visto há uma fratura em uma das patinhas traseiras, e está assim há dias  pelo o que parece… não sabemos ainda se não há necessidade de amputar.

Ela também está com uma hérnia(obrigada pela correção Dr.a Sheila) na barriga, tanto que quem a resgatou chegou a achar que ela estivesse prenha.

São Francisco, por favor olhe por ela.

E receba em seus braços o outro cãozinho que infelizmente não conseguiu ser salvo hoje.

DSCF0061 DSCF0062

Mandamentos da Posse Responsável

18 set

Confira os pilares da responsabilidade e respeito para com os animais

 

 

1. PENSE BEM ANTES DE ADQUIRIR UM ANIMAL – considere o tempo de vida estimado do bichinho e tenha certeza de que todos que vivem em sua casa estão de acordo e respeitarão o novo pet, certifique-se de que ele tenha espaço na sua vida e de que é REALMENTE O QUE QUER;

2. Evite comprar animais – opte sempre pela adoção de pets que foram abandonados e esperam ansiosamente por uma nova família;

3. Esteja ciente de todos os gastos – ele necessitará de assistência veterinária, alimentação adequada, alojamento etc.;

4. Registre seu animal – coloque um microchip e uma plaquinha de identificação com o seu nome e o seu telefone de contato;

5. Dê todas as vacinas e revacine anualmente – cuide da saúde do pet e leve-o periodicamente ao veterinário.

7. Respeite suas características físicas e comportamentais – ainda que adestre seu bichinho, lembre-se que ele é um animal e que suas características físicas e comportamentais devem ser respeitadas;

8. Somente leve seu pet para passear com coleira e guia – proteja a vida de seu animal;

9. Garanta a qualidade de vida do seu animalzinho – alimente, leve para passear, leve ao veterinário e cuide da higiene de seu pet. A qualidade de vida aumenta muito com um bom condicionamento físico e uma saúde em dia;

10. Castre seu animal, sempre – além de evitar crias indesejadas, também evitará algumas doenças que acometem o aparelho reprodutor;

11. Sempre dê atenção e muito carinho ao seu pet – o equilíbrio psicológico do animal também é essencial para uma vida feliz.

(FONTE: http://www.agendapet.com.br/2012/12/a-lei-da-posse-responsavel-e-os-10-mandamentos-agendapet.html)

 

– Minha gente, ADOÇÃO é coisa séria! 

NÃO ADOTE POR IMPULSO!

Levar pra casa por que é bonitinho, fofinho… todo mundo quer, mas quando se pensa nos gastos e no tempo que tem que ser dedicado ao animal em questão qualquer coisa vira desculpa para devolver ou largar ele por aí.

 

P.E.N.S.E

B.E.M

A.N.T.E.S

D.E

A.D.O.T.A.R!!!!!